Pesquise aqui

Custom Search

sábado, 5 de julho de 2014

Idade e Tempo de Vida

Todo mundo diz que 1 ano de cachorro equivale a 7 anos humanos, né? Mas isso não é aplicado a qualquer cachorro! 1 ano canino equivale a anos humanos diferentes de acordo com o tamanho do animal. 


CÃES PEQUENOS VIVEM MAIS QUE OS GRANDES
Quanto menor o cachorro, mais ele irá viver. Isso porque o metabolismo dele muda e com isso a estimativa de vida também! Como nos cães a diferença de peso pode ser gritante, dos 2kg aos 90kg, a resposta do corpo do animal também é gritante. Cães grandes ou de raças pesadas, sofrem mais a ação do tempo que os cães miniatura e toys.

DESENVOLVIMENTO E ESTIMATIVA DE VIDA
A maturidade dos cães e a qualidade de vida também mudam de acordo com o tamanho. Por exemplo, um cachorro miniatura está totalmente formado aos 2 anos e pode viver mais 15, 17 anos sem problemas. Já um cachorro grande ou gigante, só estará com o esqueleto todo formado aos 2 anos e após isso viverá em média apenas 6, 7 anos. Lógico que sempre existem exceções, mas para os bulldogs, por exemplo, 1 ano humano costuma ser o equivalente a 13 (pasmem, 13) anos humanos. O que faz o animal viver muito menos tempo.

CALCULE A IDADE DO CÃO PELO TAMANHO
  • Miniaturas: 1 ano é igual a 3 anos humanos
  • Pequenos: 1 ano é igual a 4 anos humanos
  • Médios: 1 ano é igual a 5 anos humanos
  • Grandes: 1 ano é igual a 7 anos humanos
  • Gigantes: 1 ano é igual a 9 anos humanos

RISCO DE CÂNCER DE ACORDO COM O TAMANHO
Como nos humanos, o risco de ter câncer é maior com o passar da idade. Como nos cães grandes a idade chega mais cedo, eles obviamente tem mais riscos de morrer com câncer que cães pequenos. O que significa que cães pequenos e miniaturas podem ter câncer a partir dos 10 anos, enquanto cães grandes e gigantes podem ter com apenas 3, 4 anos. 
A porcentagem do risco de morrer por câncer para animais não castrados é:
  • Grandes: 50%
  • Pequenos: 10%

A ESTIMATIVA DE VIDA DO SPITZ ALEMÃO 
Nos pomeranians a estimativa de vida é de 12 a 16 anos. 
A conta dos anos neles seria de 1 - 4 anos humanos. 


Mas cada animal é diferente do outro! Sempre existem exceções. A alimentação boa ajuda muito, principalmente se for antioxidante. Prática de exercício, pegar sol de manhã, ficar livre de estresse, ser castrado, ser imunizado com vacinas, ajuda a manter seu animal saudável por mais tempo. Lógico que cães que já apresentam alguma enfermidade tendem a viver menos. Mas para ilustrar isso vou contar a história de uma cadelinha chamada Thalya!

THALYA, A POODLE DE 24 ANOS
Na verdade são 23, ela só fará 24 mês que vem, mas já dá para considerar, né? 
A estimativa de vida nos poodles é de 10 a 15 anos. Mas nossa Thalya já está com 24! 
Essa viveu, viu? Não é minha, mas é de uma amiga de infância. Eu vi a Thalya ainda filhotinha! Quando minha amiga ganhou ela tinha apenas 9 anos. A Thatha era uma bolinha de pêlos de apenas 1 mês de vida. Uma poodle branca que cresceu junto com a gente. 


Ao longo desses 24 anos a Thalya, ou Tetexu, não foi castrada. Teve algumas poucas ninhadas e meteu um susto na dona Danielle quando,mãos 19 anos apareceu com filhotes. Simplesmente quem deveria estar tomando conta dela deixou a bichinha cruzar com outro poodle e não contou para a família dela. A dona percebeu que ela estava dormindo muito, fazendo muito xixi, e como ela não estava tosada e era gordinha nem perceberam a barriga. Um dia ao chegar em casa encontraram a Thalya, com seus 19 anos, amamentando 2 bebês recém-nascidos embaixo da cama! Ela poderia ter morrido pela idade, foi muita irresponsabilidade e sacanagem de quem deixou ela cruzar escondido dos donos, mas a Thalya aguentou bem a barra. Os bebês nasceram saudáveis, ela não teve nenhum problema, eles cresceram e ganharam famílias novas. 


Nesse período a dona da Tetexu precisou viajar e não podia levá-la. Ela não foi doada, mas ficou aos cuidados de amigos próximos, que a trataram como filha na ausência da dona. Esse é um textinho de desabafo da Danielle Fleury, minha amiga e mãe da Thalya.


Logo a Dani conseguiu voltar para buscar a Thalya, que mesmo velhinha, sem ver ou ouvir direito, reconheceu o cheiro e os carinhos da mãe. É emocionante, mas ao reconhecer que aquela pessoa que estava mexendo com ela era a dona, Tetexu entrou em desespero e chorou de felicidade. É amor demais preso dentro de uma bichinha tão pequena e valente.

Como todo cachorro idoso, a Thalya já não é muito ativa, dorme bastante e não dispensa uns agrados.


Acontece que a pobrezinha, já que nunca foi castrada, apresentou a porcaria da piometra. O desespero se instalou por não saber se ela resistiria à anestesia! Ao mesmo tempo que poderia morrer na cirurgia, ela iria morrer se não retirasse o útero. Foi aí que a Danielle, enfrentou dias de filas sem fim para conseguir senhas, exames e a cirurgia no hospital público veterinário do estado de São Paulo. 


Enquanto esperava a cirurgia, Thalya ficou tomando antiflamatorios e antibiótico para conseguir diminuir a inflamação do útero e poder operar. Só os remédios não resolvem o problema, mas eles ajudaram a diminuir um pouco o tamanho do útero.

No final deu tudo certo. Danielle conseguiu os exames e a cirurgia, Thalya não morreu na anestesia, acordou e voltou para casa. Espero que ela esteja pronta para viver mais alguns anos ainda! Se formos calcular a idade da Tetexu, aos 24 anos, se cada ano dela for equivalente a 4 anos humanos, ela está hoje com 96 anos!



Texto e Foto da Sarita: Vívian Roncon
Fotos da Thalya: Danielle Fleury

Nenhum comentário:

Postar um comentário